Tempo do escritor: como conciliar a escrita com o trabalho

Relógio de bolso se desintegrando

A cada dia que passa temos a impressão de que o tempo passa mais rápido. Para quem se dedica à escrita de ficção não é diferente, sobretudo porque na maior parte dos casos as pessoas precisam conciliar a escrita com o trabalho.

Um dos melhores ensinamentos sobre o tempo do escritor que nos ensina Stephen Koch, em seu livro Oficina de escritores. Um manual para a arte da ficção (Martins Fontes, 2009), é o seguinte:

“Tudo o que você escrever levará mais tempo do que você acha que deveria”

STEPHEN KOCH, p. 61

Realmente não é fácil planejar ou calcular o tempo para escrever um texto literário, seja um conto ou um romance. É claro que no primeiro caso será necessário menos tempo, mas é tola a ideia de que escrever, o que quer que seja, pode ser algo rápido.

O que apresentaremos a seguir são algumas dicas e considerações sobre o tempo do escritor, que vão lhe ajudar a pensar melhor sua própria rotina. Ah, antes de avançar, uma última dica inicial: considere no tempo da escrita algum momento para o “desperdício”, ou seja, para distração e divagação.


Como conciliar a escrita com o trabalho

Acredite ou não, mesmo escritores consagrados em boa parte das vezes precisam de um trabalho para além daquele da escrita ficcional. Há quem atue, nestes casos, como professores ou colunistas de jornal. Mas há toda a sorte de trabalho em que escritores ganham a vida fora da escrita criativa.

Cada profissão exige um tipo de rotina e dedicação. Contudo, quando se trata de conciliar o trabalho de escritor com outro trabalho qualquer – normalmente aquele que garante sua sobrevivência – é importante que o escritor faça as pazes entre as duas atividades.

Tratar a profissão paralela a de escritor como inimiga é um erro comum, mas que deve ser evitado, pois isso só torna as coisas mais difíceis, afinal na maior parte das vezes é algo incontornável.


Ampulheta com jornal no segundo plano
Imagem: Publica Domain / CC

Como arranjar tempo para escrever

Um primeiro passo para arranjar tempo para escrever é se debruçar sobre a questão: quando escrever? Cada pessoa sabe quando é o melhor momento, mas o mais importante, neste caso, é tentar sempre escolher aquele período em que você se sente melhor e com a mente mais focada.

Tendo escolhido aquele período que você se sente mais inspirado é hora de traçar um plano para a semana. Embora muitos escritores consagrados, como Anton Tchekhov, afirmem com acerto que é importante escrever diariamente, é preciso considerar que há exceções.

Stephen Koch (p. 63) nos conta que a escritora Toni Morrison, não conseguia escrever diariamente, sobretudo em função dos filhos e da rotina de trabalho. O que ela fazia? Escrevia nos intervalos entre um trabalho e outro, ao amanhecer e nos finais de semana.

O mais importante quando se trata de arranjar tempo para escrever é não romantizar a tarefa da escrita ficcional. Trata-se, antes de tudo, de trabalho. Muito trabalho.

A ressalva, no entanto, fica por conta de um cuidado que deve ser tomado com cautela: se você não está escrevendo bem, em um dado momento, por que continuar? Pense nisso, mas seja honesto com você mesmo para não transformar isso em uma bengala e manter-se firme na tarefa de escrever ficção.


Como organizar a rotina de escrita criativa

Preparamos algumas dicas de como organizar a rotina de escrita criativa.

  • Na medida do possível, procure um ambiente adequado, de preferência fixo, para escrever;
  • Escolha aquele momento do dia que você não está trabalhando e que se sente em melhor forma para a escrita;
  • Procure manter uma rotina frequente;
  • Não deixe de se hidratar para manter seu cérebro ativo. Então reserve uma garrafinha de água, um café ou chá (quem sabe um vinho, com moderação, claro) para seu momento de escrita criativa;
  • Ficar longe de celulares e redes sociais é fundamental se você quer manter o foco. Há aplicativos como o Forest, que lhe ajudam a manter o foco se você não consegue ficar longe das redes sociais;
  • Respeite seu corpo. Se está com dor, com muito cansaço ou completamente desconectado de seu texto, talvez o melhor seja se permitir um bom banho, um passeio no parque ou mesmo um descanso para recarregar as energias;
  • Lembre-se sempre, escrever é um trabalho e ele deve ser levado a sério. A noite de autógrafos e lançamento pode ser (e é) legal, mas antes de ficar projetando esse esse momento é preciso trabalhar e muito!

Relógio de bolso tendo o tirante cortado
Imagem: Publica Domain / CC

Ritmo de trabalho para escrever um livro

Escrever um livro pode ser um trabalho de meses, de anos, de décadas, de uma vida toda. Como não há (nem deveria) uma regra, o importante no ritmo de trabalho para escrever ficção é considerar cada etapa do trabalho.

Escrever uma obra literária é como correr competitivamente uma maratona. Não é prudente dar todo o gás logo no início, sob pena de se desestimular no meio do caminho, e é importante ir dosando sua energia para não perder entusiasmo.

O fundamental neste contexto é não perder o impulso. Se no começo do projeto as pausas podem ser mais “perigosas”, quando, por exemplo, se está rascunhando o projeto e um intervalo de uma semana pode ser fatal, à medida que o texto se consolida, esse distanciamento pode ser produtivo para maturar os detalhes de seu enredo ou narrativa.

Lembre-se de que a continuidade do seu projeto literário depende de sua empolgação pelo tema que você se debruça, então planeje uma rotina que mantenha seu frescor intelectual e não uma rotina que te extenue e lhes faça perder o interesse.


Clube de criação literária

Clube de Criação Literária é uma dessas ações de mecenato coletivo – neste caso, em favor do escritor e tradutor Robertson Frizero. Mas, como o próprio nome sugere, é uma ação de mecenato que traz, também, uma ideia inovadora no campo da formação continuada em Escrita Criativa.https://www.youtube.com/embed/5RnCn4ZziEQ?feature=oembed

Associando-se ao Clube, o participante colabora com o mecenato coletivo e tem acesso a conteúdo exclusivo sobre Criação Literária:

  • Material didáticoartigos resenhas de livros de interesse na área de Criação Literária;
  • Reuniões on-line e debates sobre Criação LiteráriaLiteratura Mercado Editorial;
  • Vídeos, áudios, apresentações e sessões de mentoria literária em grupo;
  • Sorteios mensais de livros e serviços de mentoria literária individual e leitura crítica.

Desafio de literatura 2021: envie suas resenhas e ganhe prêmios

Conhece o Desafio de literatura 2021 do site Frizero? Você pode publicar sua resenha literária em nossa página e de quebra ganhar o livro  Dostoiévski – Correspondências (1838-1880), do escritor russo que completa duzentos anos de nascimento em 2021. A edição foi traduzida por Robertson Frizero.

Como devo escrever e enviar minha resenha

No mês de setembro, o desafio é ler um Um livro de autor brasileiro lançado de forma independente.

Para participar basta enviar seu texto para sitefrizero@gmail.com com o assunto [DESAFIO DE LITERATURA – NOME DO PARTICIPANTE].

Lembre-se deixar no formato .doc com a seguinte formatação: Times New Roman, 12, espaçamento 1.5, título e autor no nome do arquivo.

Caso sua resenha seja escolhida para publicação, você receberá um e-mail solicitando dados para o recebimento da premiação.


Robertson Frizero

Retrato de Robertson Frizero
Robertson Frizero

Robertson Frizero é escritor, tradutor e professor de Criação Literária. Sua primeira oficina foi lançada em 2011, e desde então se manteve em atividade contínua, entre oficinas, cursos, palestras e mentorias literárias. Foi jurado do Prêmio Jabuti de Literatura por três anos consecutivos e jurado do Prêmio Açorianos de Literatura. É Mestre em Letras pela PUCRS e especialista em Ensino e Aprendizagem de Línguas Estrangeiras pela UFRGS.

Frizero é autor de romances e livros infantis premiados, e já publicou também poesia, contos e textos teatrais. Seu livro de estreia, o infantil Por que o Elvis Não Latiu? [8INVERSO, 2010], foi agraciado com o Prêmio Crescer. Seu romance de estreia, Longe das Aldeias [Dublinense, 2015], ganhou o Prêmio AGES de melhor romance do ano pela Associação Gaúcha de Escritores – AGES e foi finalista dos prêmios São Paulo de Literatura e Açorianos de LiteraturaLonge das Aldeias foi também escolhido pelo Governo Federal para distribuição à Rede Pública de Ensino no PNDL Literário 2018. Em 2020, Longe das Aldeias foi traduzido para o árabe e publicado no Kuwait e Iraque, com distribuição para todo o mundo árabe.


Leia também

Narrador e narração na literatura de ficção

Por que participar de oficinas de literatura

O conflito na ficção literária – Parte 3 | As circunstâncias do conflito

O conflito na ficção literária – Parte 2 | A transformação do personagem

O conflito na ficção literária – Parte 1

Escrevendo o máximo com o mínimo

Prêmio Literário – Literatura Mínima 2021

Faça parte do Clube de Criação Literária

O que é um texto?

A epopeia de Gilgamesh: o livro mais antigo do mundo

Como ler e escrever como um escritor

Do pensamento à palavra: como transformar ideias em literatura

Originalidade na escrita criativa

Conheça o Clube de Criação Literária!

Dizer uma coisa para dizer outra

Disciplina na escrita criativa é a liberdade do escritor

Ritmo na poesia e a divisão das sílabas métricas: o decassílabo

Aproveite algumas dicas de como se tornar um escritor profissional

Conheça quatro lições para ser um bom escritor

Personagens como os alicerces da história – Parte II

Personagens como os alicerces da história – Parte I

Literatura de entretenimento no Brasil: conheça suas características

Da leitura de superfície à estrutura do texto na escrita criativa

Como escrever um bom começo de texto literário

O fator humano na Escrita Criativa e na literatura de ficção

O conto e a literatura de narrativa curta

Deixe uma resposta